Mercurius Report #04

A euforia e estabilidade
que estávamos observando no mercado de capitais foi trocada por medo e
angústia
por parte dos investidores em relação a uma segunda onda de
casos do COVID-19 pelo mundo.

Após Estados Unidos, China e
Austrália registrarem casos crescentes de coronavírus, o risco de um
novo lockdown nesses países se tornou real e desanimou o mercado,
apesar dos diversos incentivos econômicos que o Fed vem realizando.

Acompanhando os principais
índices do mundo, o Bitcoin também desvalorizou nos últimos sete dias cerca
de 5%,
chegando a atingir valores abaixo dos 9.000 USD no final de
semana.

Isso fez com que a correlação
entre a criptomoeda e o S&P 500 voltasse a crescer no curto prazo, o
que sinaliza que a criptomoeda, no curto prazo, se comporta como um ativo de
risco em momentos de estresse do mercado.

Tal
movimento foi refletido nos principais indicadores técnicos do mercado. O
Bitcoin formou topo em seu gráfico semanal, em movimento semelhante ao
de outubro de 2019, o que pressupõe, pelo seu histórico, uma queda na
região dos 7.000 USD.

Essa conclusão é reforçada pelo volume
de contratos em aberto
. Desde o último topo formado pelo BTC em um gráfico
semanal (o do dia 07/06), o volume de contratos abertos para short subiu
aproximadamente 3,5% e para long caiu 25%.

Entretanto, não há nada definido
em relação ao preço do ativo, visto que com a baixa volatilidade da criptomoeda
(atingiu a menor volatilidade mensal e semanal do ano nessa semana), ocorreu
uma redução considerável no volume de Bitcoins operados, o que
pode facilitar uma eventual manipulação de mercado e, consequentemente,
desconfigurar os indicadores técnicos.

Para saber mais das perspectivas de mercado, baixe o relatório completo, de forma gratuita, o Mercurius Report #04.

The post Mercurius Report #04 appeared first on Foxbit .

Mercurius Report #03

Antes da busca por liquidez do
mercado e da desvalorização de mais de 30% dos principais índices do
mundo, o Ibovespa estava na faixa dos 104.000 pontos, enquanto o S&P 500
estava na região dos 3.100 pontos. Atualmente, o S&P 500 recuperou-se da
desvalorização que sofreu três meses atrás e voltou aos 3.100, assim como o
Ibovespa, que já está próximo dos seus 100 mil pontos.

Assim como os principais índices
do mundo, o Bitcoin também retornou para patamares de preço semelhantes ao começo
da pandemia
. Entretanto, no início da crise, o criptoativo sofreu uma
desvalorização maior do que os mercados de capitais (cerca de 40%). Portanto,
sua recente recuperação parcial fez com que o BTC se tornasse o ativo que mais
se valorizou nas últimas duas semanas (entre os principais ativos analisados).

Esse movimento de alta que o Bitcoin
realizou, acompanhando o mercado de capitais, fez com que o ativo voltasse a
apresentar uma alta correlação com o S&P 500, que se valorizou
consideravelmente nesse último mês, apesar de uma retração na semana passada.

Além disso, essa alta correlação com
o S&P está muito ligada à baixa volatilidade que o Bitcoin vem apresentando
nesse último mês. O ativo está mantendo sua volatilidade diária do período de
30 dias, abaixo dos 4%, algo incomum para a criptomoeda.

Ao analisar o Bitcoin através de
indicadores técnicos, percebe-se que essa baixa volatilidade tende a ter um
fim
nas próximas semanas.

Primeiramente porque o ativo encontra-se
em uma zona do afunilamento nos tempos gráficos mais curtos, estando
entre uma linha de tendência de baixa e outra linha de tendência de alta. Essa análise nos abre a possibilidade de um rompimento
do ativo tanto para cima quanto para baixo.  

Além
disso, no fim dessa semana ocorrerá o vecimento de mais de 1 bilhão de
dólares
em contratos em abertos de opções na Deribit e na CME. Tal fato,
historicamente, pressupõe um grande movimento do ativo após esses vencimentos.

Dessa maneira, é esperado uma grande
movimentação
do Bitcoin após o dia 26 de junho.

Esperamos que tenha gostado de nossa análise semanal. Para saber mais sobre a provável direção desse possível rompimento do Bitcoin e para ter atualizações completas sobre o mercado de capitais, baixe o Mercurius Report #03, disponível gratuitamente no link abaixo.

The post Mercurius Report #03 appeared first on Foxbit .

Report Mercurius #02 – Foxbit

O mercado de capitais teme uma segunda onda do COVID-19, e o Bitcoin sente esse feito!

Bem-vindo ao Mercurius Report
02!

Nessa semana, o anúncio de novos
surtos de COVID-19 nas duas maiores economias do mundo alarmou os investidores,
que estão temendo uma segunda onda do vírus.

Com isso, os principais índices do mundo operaram em baixa e o Ibovespa acompanhou esse movimento nessa semana. O Bitcoin comportou-se de forma semelhante e apresentou uma desvalorização de 6,5%.

É interessante observar esse movimento, pois o criptoativo voltou a ter uma correlação positiva com o S&P 500 nessa semana (no curto prazo), o que reforça a tese da ligação entre a criptomoeda e o mercado de capitais em momentos de estresse de mercado.

Observando o mercado por um viés técnico, o Bitcoin ainda permanece em um canal de alta, o que pressupõe uma subida até a região dos 9500 USD (de acordo com o indicador). Mas como o ativo, em seu fechamento, segurou na faixa entre 10180 e 9894, historicamente, espera-se uma descida no longo prazo.

Essa visualização vai de encontro com outros dois indicadores: os Gap´s da CME (o qual o último aberto está na região dos 8870 USD), e o aumento de volume do mercado institucional, mas com a redução dos contratos em abertos pelos investidores. Isso tudo pressupõe uma redução da exposição ao mercado de criptomoedas e uma cautela dos investidores institucionais em relação ao Bitcoin.

Dessa forma, há uma tendência de alta no curto prazo do
ativo (por indicadores técnicos), mas os indicadores fundamentalistas indicam a
necessidade de cautela.

Para ler as análises completas, baixe o nosso Report!

The post Report Mercurius #02 – Foxbit appeared first on Foxbit .

Report Mercurius #01 – Foxbit

Com o objetivo de te manter bem informado, semanalmente, sobre o mercado de criptomoedas, nós da Foxbit, juntamente com a empresa de Research em criptomoedas, Mercurius Crypto, iremos liberar um report semanal completo. 

Nosso report contará sempre com análises fundamentalistas e técnicas sobre as últimas movimentações do Bitcoin na semana e comparativos com os principais índices e ativos do mercado tradicional (Ibovespa, S&P 500 e Ouro). Nosso estudo ocorrerá sempre nas terças-feiras para que você tenha tempo para se preparar nos investimentos da semana. 

Bem-vindo ao Mercurius Report!

Nessa semana, a economia mundial está dando sinais de recuperação após o COVID-19. Os principais mercados do mundo foram surpreendidos com a baixa taxa de desemprego norte-americana e com a rápida recuperação das empresas.

Tal recuperação fez com que tanto o S&P 500 quanto o Ibovespa se valorizassem mais de 15% nos últimos dois meses. Confira no gráfico abaixo a variação dos ativos IBOV, BTC, Ouro e S&P:

O Bitcoin permanece sendo o ativo que melhor performou nessas últimas semanas, mesmo com esse momento positivo do mercado tradicional. Apesar disso, o que se observou nos últimos 15 dias foram movimentos lateralizados da criptomoeda, o que indica uma grande indecisão do mercado.

Ao analisarmos a zona atual do preço do Bitcoin, percebe-se que o mesmo permanece afunilado em uma Linha de Tendência de Baixa, formando um topo na faixa dos 9750 USD, o que pressupõe uma desvalorização no curto prazo do ativo (de acordo com os indicadores técnicos).

Porém, o mercado permanece cada vez mais nas faixas acima dos 9000 USD, podendo formar, nessa região, uma zona de resistência, caso o preço não desça nessa próxima semana.

Essa visão vai de acordo com a movimentação dos investidores institucionais, que apesar de terem metade das suas posições finalizadas com os fechamentos dos contratos futuros de maio da CME, voltaram com força essa semana, aumentando o número de contratos em abertos e o volume, o que indica um desejo de se expor ao mercado.

Tela de celular com texto preto sobre fundo branco

Descrição gerada automaticamente

De forma geral, os principais indicadores técnicos e fundamentalistas do Bitcoin indicam um momento de estabilidade e indecisão, com um sentimento neutro do mercado.

Para ter uma análise mais completa desse momento do mercado, baixe nosso estudo completo no link abaixo.

The post Report Mercurius #01 – Foxbit appeared first on Foxbit .

Coingoback: seu novo cashback em cripto

Há diversas maneiras de conseguir algumas frações de bitcoin, a mais comum é comprando em uma corretora como a Foxbit. Hoje vamos te ensinar como transformar descontos nas suas compras em boas frações de bitcoin.

“CashInvest”: Transformando compras em investimento

O conceito de Cashback é muito conhecido na internet e extremamente difundido nos Estados Unidos e União Europeia. Recentemente, essa modalidade chegou ao Brasil.

Como funciona o Cashback?

Para quem não conhece, o CashBack é uma modalidade de desconto que te retorna uma porcentagem do valor das suas compras online. Isso é possível graças a parcerias entre grandes varejos e empresas de cashback.

As empresas de cashback são como plataformas de marketing que ganham uma porcentagem da venda dos clientes e distribuem parte desse dinheiro para os compradores. Isso diminui os custos de aquisição (CAC) dos vendedores e garante melhores ofertas para o gosto de cada cliente. 

Cashback de investimento:

No último ano surgiram empresas de cashback com bitcoin. Com elas é possível ter todas as vantagens do bitcoin, como pseudoanonimato, transações irreversíveis e segurança para transferências internacionais e quase instantâneas.

Enquanto você ganha um desconto, também acaba investindo em bitcoin. 

Antes de se tornar CEO da Coingoback, Isac Honorato já era usuário de cashback, mas não de bitcoin. 

“Acabei comprando muita coisa online como celular e móveis para casa, isso deu uma média de R$800 em cashback durante o ano todo.”

Se o Isac tivesse usado o cashback como investimento em bitcoin, hoje ele teria um ganho de 93%.

“Foi aí que eu vi o potencial do cashback em bitcoin e criptomoedas, é uma boa reserva de valor”, disse o CEO da Coingoback.

Além do Cashback

A Coingoback tem extensão para o Google Chrome, além de milhares de lojas parceiras, como a Amazon, Kabum, Centauro, Americanas, Submarino, AliExpress e até as Casas Bahia.

Mas mesmo que você não faça muitas compras o Coingoback tem o chamado Indique e Ganhe. Para expandir a base de clientes, a empresa está dando R$5 para cada membro novo convidado e que faça compras na plataforma. 

Além de apoiar a nova economia, o Cashback com investimento em bitcoin ainda te ajuda a economizar em criptomoedas. 

Gostou da dica? Siga a Foxbit no Instagram e no Facebook para você receber outras maneiras de receber bitcoin e mais informações sobre a revolução das criptomoedas.

The post Coingoback: seu novo cashback em cripto appeared first on Foxbit .

Concurso Pizza Day: o que o bitcoin e a pizza representam pra você?

O Pizza Day foi o marco da primeira compra com bitcoin. Naquela oportunidade, em 2010, foram usados cerca de 10 mil bitcoins para a compra de 2 pizzas do valor de 41 dólares na época. Hoje em dia esse valor ultrapassaria os US$ 88.656.200,00 ( ou R$521.236.396,60 – cotação do dia 12 de maio de 2020 às 16:50) e esta foi a pizza mais cara da história.

E para comemorar esse marco, que em 2020 completa 10 anos, lançamos um Concurso Cultural.

É muito simples participar, basta preencher o formulário e responder a pergunta: O que o bitcoin e a pizza representam para você, nesses 10 anos de pizza day?

O concurso começa hoje, dia 12 e termina dia ás 23h59 do dia 20 dia Maio. O resultado sai as 12h do dia 22 de Maio em todas as nossas redes sociais!

Você pode ler o regulamento completo do concurso clicando aqui.

Bitcoin Pizza Day: Entenda por que esse dia é importante para o bitcoin

Como toda criação, o bitcoin no seu começo em 2010 ainda não era tão conhecido, apesar de toda a tecnologia inovadora existente por trás da criptomoeda, mas algo mudou isso, no dia 18/05/2010 aconteceu uma coisa inusitada, o programador Laszlo Hanyecz criou uma publicação no fórum bitcointalk, com o título “Pizza for Bitcoin” que por sinal era um dos poucos lugares onde pessoas que conheciam o bitcoin estavam, em sua publicação ele disse:  

“ Eu estou disposto a pagar 10.000 bitcoins por um par de pizzas… talvez duas grandes, para sobrar um pouco no dia seguinte. Eu gosto quando sobra um pouco para depois.

Você pode trazê-las na minha casa ou comprar em um lugar que faça entrega, mas o que eu quero é receber a comida em troca de bitcoins onde eu não tenha que pedir ou ou preparar sozinho, tipo pedir um café da manhã em um hotel ou algo assim, eles simplesmente trazem algo e você comer e você fica feliz. Se você estiver interessado, por favor me avise e nós fechamos o acordo. Obrigada Laszlo”. 

Algumas horas depois algumas pessoas comentaram na publicação de Laszlo, um deles disse: 

“10.000 bitcoins? Isso é pouco, você pode vender no bitcoinmarket.com por $41 dólares … boa sorte em obter a sua pizza de graça.” 

Algumas pessoas até se interessaram na ideia de Laszlo, porém, algumas delas moravam longe e não foi possível, até que finalmente ele conseguiu alguém que fizesse a compra para ele, em 22/05/2010 ele realizou seu desejo e comprou 2 pizzas grandes por 10.000 bitcoins e sua publicação ficou esquecida no fórum por alguns meses e o tempo foi se passando, até que em agosto do mesmo ano uma pessoa comentou:

“Eu acho que $600 dólares é um excelente acordo para uma pizza”, foi onde o bitcoin iniciou seu movimento de alta, e com o passar do tempo, conforme o bitcoin foi valorizando e seu preço subindo os comentários na publicação continuaram: 

“Saudações de novembro de 2010, como é a sensação de comer uma pizza de 2.600 dólares?”

Em abril de 2011 essa pizza já valia $18.000 dólares e em 2013, três anos depois essa pizza já valia $2 milhões de dólares, até que chegou 2017, onde o bitcoin teve uma alta histórica e percepção em massa até por quem não era entendido de tecnologia ou criptomoedas, onde chegou a bater, o incrível valor de: $200 milhões de dólares.

Essa é a história da primeira compra realizada com bitcoin, que é comemorada até hoje sempre no dia 22 de maio se tornando muito importante para a história da criptoeconomia, data conhecida como Bitcoin Pizza Day.  

The post Concurso Pizza Day: o que o bitcoin e a pizza representam pra você? appeared first on Foxbit .

O que é Slippage e como funciona essa situação

Slippage é um termo em inglês para falar de uma situação específica que acontece em operações financeiras com investidores e traders. Quer saber mais sobre isso? Vamos contar tudo para você neste artigo.

O que é Slippage? 

Você já passou por alguma situação em que não consegue executar uma compra de Bitcoin ou ações, por um preço que pretendia? Essa compra acaba saindo mais cara que o planejado ou sua venda acaba saindo mais barata. Isso é conhecido como Slippage.

O Slippage acontece porque o mercado tem certos limites e quando algum investidor opera com um grande volume ou o ativo não tem liquidez, o livro de ofertas acaba “quebrando” por alguns segundos até essa ordem com grande volume seja executada. 

Em momentos de alta, é normal que alguns clientes queiram vender ou comprar usando a opção “Mercado”, que basicamente significa executar uma ordem, por muitas vezes com grande volume, partindo do preço que estiver no topo do livro de ofertas.

Não sabe o que é um livro de ofertas? Temos um artigo só sobre isso e recomendamos a leitura para entender como o Slippage funciona.

Vamos ver casos reais disso acontecendo?

Casos de Slippage #1

Vamos ver agora dois casos reais de Slippage que aconteceram na nossa plataforma.

No dia 26/06/2019 por volta das 15h30, o nosso livro de ofertas apontou o preço do Bitcoin em torno de R$ 33.000,00, enquanto várias outras corretoras o valor da cripto estava sendo negociada na casa dos R$ 50.000,00. 

Entendemos que algo assim possa gerar preocupação aos clientes, mas fique tranquilo, pois vamos explicar o que houve. 

Vamos imaginar que as ordens do livro de ofertas somadas chegam a 100 bitcoins, sendo que o primeiro preço do topo do livro é R$ 50.000,00 e o último preço dessa soma está em R$ 33.000,00. 

Se um cliente optar por vender 10 bitcoins a “Mercado”, o livro executará todas as ordens necessárias até que a soma das frações complete a quantidade dessa ordem de venda.

E foi justamente isso que aconteceu. Haviam clientes com ordens Stop-Market em valores diferentes do topo do livro de ofertas, e então uma ordem de venda muito grande foi executada à “Mercado” e consumiu todas as ordens necessárias, inclusive as ordens de Stop-Market, para completar a operação, fazendo com que o preço do bitcoin na Foxbit caísse muito rapidamente. 

Casos de Slippage #2

No dia 06/05/2020 tivemos outro caso de Slippage, novamente em um momento de stress do mercado por conta de uma alta valorização do Bitcoin, onde um cliente vendeu um grande volume em ordem “Mercado” e limpou o Livro de Ofertas em poucos segundos.

Diversas ordens foram executadas para compra dessa ordem, até chegar no valor de aproximadamente R$42.000,00.

Assim que essa operação foi finalizada, os demais usuários voltaram a operar no preço que o mercado estava. 

Vale ressaltar que isso é muito comum em épocas de grande volatilidade e que quanto maiores forem os preços, maiores serão as oscilações. 

Esse fato é conhecido como: “slippage” e poderia ter acontecido em qualquer exchange, não só na Foxbit. 

Conclusão

O Slippage é algo comum no mercado de negociações de ações e criptomoedas, mas por muitas vezes é ignorado. Não olhe somente para corretagem, impostos e custos de onde você opera. 

“Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com a gente pela Central de Ajuda e vamos bater um papo.”

The post O que é Slippage e como funciona essa situação appeared first on Foxbit .

X ONE CASH – Invista em Traders e tenha Lucros!

A X One Cash é uma empresa online de investimento que faz Trading de Criptomoedas e Criptoativos, forex, que atua a nível Internacional, formada por uma equipe de analistas financeiros que possuem mais de 10 anos de mercado, são traders profissionais que estarão abrindo ordens no mercado e obtendo lucros.

Acompanhe em tempo real todas as transações feitas pelos traders, você poderá acompanhar o desempenho de cada um via MyFXbook, uma ferramenta analítica automatizada on-line para mostrar as negociação de Forex em tempo real.

A X One Cash oferece o melhor e mais seguro investimento em criptomoedas da atualidade. Caso você seja lider de equipe, poderá participar das formas de ganhos da X One Cash e ganhar várias comissões.

COMO FUNCIONA A X ONE CASH

Moeda Digital Criptocurrencies funcionam como dinheiro igual ao dólar e real, a diferença é que Criptocurrencies funcionam digitalmente e são mais seguros e mais fáceis de negociar do que o papel-moeda. Uma vez que eles são muito voláteis, você pode obter um grande lucro com a compra e venda de Criptocurrencies.

X one CASH faz arbitragem criptocurrency, com a ajuda de um algoritmo preciso, os comerciantes fazem transações com vários corretores ao redor do Mundo, comprando cryptocurrency de corretores que têm o menor custo, e vendendo onde ele paga mais.

A negociação pode ser realizada em uma bolsa online. Com a ajuda da análise gráfica de x one cash, os comerciantes podem determinar qual é a tendência do mercado, se ele vai subir ou cair, encomendas abertas a qualquer momento e com o direito destas transações pode obter um bom lucro.

VÍDEO DE APRESENTAÇÃO X ONE CASH

Veja abaixo como funciona a X One Cash com esta apresentação oficial:

Copie o seu comerciante favorito e tenha os seus lucros compartilhados com X One. O afiliado escolhe um dos X one traders e copia suas transações, obtendo lucros compartilhados.

Os comerciantes podem ser negociados todas as segundas-feiras. X one cash transfere 80% dos lucros obtidos com as operações para as suas filiais. Nota: os lucros passados não garantem lucros futuros.

Ganhe de 5% a 10% sobre o valor do pack que seu indicado direto adquirir. Até o título bronze você ganha 5% ao indicar uma pessoa. Ao atingir o título de silver acima, você passa a ganhar 10% de comissão.

Ex: Você atingiu o título de SILVER e indicou uma pessoa para a X One Cash e ela comprou um pack 1010, você ganhará U$100 dólares de comissão (10%).

Se você for tiver o título de EMPREENDEDOR ou BRONZE e indicou uma pessoa para a X One e ela comprou um pack 5010, você ganhará U$250 dólares de comissão (5%).

Gráfico de candles: o que é e como interpretar?

Seja para buscar tendências ou fazer trades baseados em indicadores técnicos, você precisa entender o que são os gráficos de candles e se especializar no assunto. Vamos lá?

O que são essas barrinhas?

Uma das primeiras coisas que somos apresentados ao entrar em sites ou apps de trade são esses “gráficos de vela”, candle charts. Embora assustador ao primeiro olhar, possui informações muito mais completas do que o tradicional gráfico de linha.

Por este motivo fazemos questão de transmitir este conhecimento: seja lá qual for o ativo (Bitcoin, Ethereum, dólar, ações Bovespa, etc.) ou horizonte de investimento, saber ler corretamente estas informações irá lhe conferir uma grande vantagem.

Que informações estão escondidas?

Sobre as barras (candles): verdes significam períodos no qual o preço de fechamento foi acima da abertura, indicando alta, e vermelho períodos de queda. Se você olhar mais de perto notará que há um risquinho, um traço vertical em quase toda barra (gráfico abaixo). Este traço indica o preço máximo e mínimo dentro deste período. Lembrando que no gráfico de 1h cada barra indica os valores de abertura, fechamento, máximo e mínimo deste período de 1h.

Note que mesmo numa barra (candle) de baixa, é possível que tenha atingido um pico (máximo) acima do período anterior. Isso indica que houve uma alta, mas em seguida houve uma queda fazendo com que fechasse no vermelho (queda)

Como identificar padrões?

A principal função do gráfico é auxiliar o investidor a identificar períodos de alta (bull), lateralização (flat) e queda (bear). Lembre-se que isto depende do período em questão e pode ser diferente conforme o horizonte

ALTA: Durante períodos de alta, também conhecidos como bull market, quedas não formam novas mínimas, apenas pequenas correções. Ao analisarmos um conjunto de 20 ou mais candles (velas), percebemos que há uma tendência de valorização. Isto independe se estamos analisando períodos de 5min ou de 1 dia.

LATERALIZAÇÃO: Em determinados momentos o mercado passa a operar sem tendência definida, conhecido como retângulo ou lateralização. Alguns investidores operam dentro destes canais, comprando no piso (suporte, patamar que ajuda a sustentar) e vendendo na resistência (teto, impondo dificuldade de romper). Há ainda quem utiliza este rompimento do topo para comprar, apostando numa onda de alta.

QUEDA: Mercado de baixa ou bear market, provavelmente um dos mais complicados de se operar. Muitos iniciantes tentam adivinhar o fundo do movimento, ou como dizem os experts, “pegar a faca caindo”. Neste cenário a melhor estratégia é realizar pequenas compras regulares de forma semanal ou mensal e aguardar a mudança de tendência.

O que buscar nos gráficos da Foxbit?

Logo no topo do gráfico temos as seguintes informações: BTC/BRL (cotação do Bitcoin em R$), Abr (preço de abertura no candle selecionado), Máx / Min (preço máximo e mínimo que atingiu nesta vela) e finalmente Fch, a cotação final neste período onde estamos passando com o mouse. No exemplo ao lado estamos olhando o período de 60 minutos, ou seja, cada vela (ou candle) representa a oscilação de preços dentro de 1 hora.

Como aproveitar tendências?

Repare no gráfico à esquerda como havia um canal de baixa entre 30/Nov e 16/Dez, uma tendência de queda com range (faixa) definida. Traders que se baseiam na análise gráfica costumam realizar vendas quando o preço encontra a resistência (teto, impondo dificuldade de romper) destes canais de baixa. Em canais de alta o movimento é o oposto: realizam compras quando o gráfico encosta no piso (suporte, patamar que ajuda a sustentar).

Quais os indicadores mais utilizados?

Sem dúvida a “Média Móvel” é o indicador mais conhecido da análise gráfica. Ao clicar em “Indicadores”, é possível acrescentar tal informação. Esta nova linha que irá aparecer no gráfico representa o preço médio no período anterior. No exemplo ao lado selecionamos o parâmetro de 20 dias. Alguns analistas afirmam que esta linha funciona como um forte piso (suporte) quando estamos negociando acima, e inversamente um teto (resistência) quando estamos abaixo.

Índice de Força Relativa (IFR) ou RSI

Outro indicador muito utilizado pelos analistas técnicos é o “Índice de Força Relativa” (IFR), também disponível na plataforma Foxbit. Este indicador varia entre 0 e 100 e considera o mercado sobrecomprado (caro) quando encontra-se acima de 70, e o inverso (barato) abaixo de 30. É calculado a partir de uma fórmula matemática que envolve a soma das cotações dentre os períodos de altas dividido pelo somatório dos dias de queda. À esquerda temos um exemplo utilizando o parâmetro de 10 períodos de 12 horas cada.

Agora que você sabe ler os gráficos, que tal efetuar um depósito pra testar seus conhecimentos?

Se você ainda não conta na Foxbit, abra sua conta grátis agora!

The post Gráfico de candles: o que é e como interpretar? appeared first on Foxbit .

Bitcoin acumula alta de 31% e supera crise de 2020

Quando falamos de recuperação em uma crise, como a que estamos vivendo hoje, vemos que o Bitcoin superou todos as expectativas e os números realmente mostram isso.

A criptomoeda que tinha caído para menos de R$25 mil agora está sendo negociada na Foxbit por R$ 38 mil*.

Em outras palavras o Bitcoin subiu 52% desde às duas últimas grandes quedas, uma no começo de março (06/03) e outra no dia 11/03.

No gráfico acima podemos ver a queda do Bitcoin e sua recuperação até hoje.

Mas o que isso significa para quem comprou ou deixou de comprar bitcoin?

Quem comprou R$ 1.000,00 em bitcoin quando o preço se aproximou da queda máxima em março hoje tem R$~1520,00. É um bom dinheiro, não é mesmo?

Ibovespa x Bitcoin

Se compararmos o desempenho do bitcoin com o Ibovespa veremos que o criptoativo está se recuperando muito mais rápido e já teve uma alta de aproximadamente 31% desde o começo do ano.

Enquanto isso, o Ibovespa acumula uma queda de 36,69% no mesmo período de tempo.

Entretanto, diferente do Ibovespa, as perspectivas do bitcoin parecem mais positivas ainda. Conforme análise feita no Cointimes, o halving do Bitcoin pode impulsionar o preço da criptomoeda se o histórico se mantiver.

O Bitcoin ainda precisa subir cerca de 9,52% para voltar ao patamar de R$40 mil – anterior ao da crise. Contudo, a resposta no preço do criptoativo foi rápida e mostra certa resiliência do bitcoin mesmo em cenários caóticos. Enquanto isso, o Ibovespa ainda precisa subir 34,3% para retornar aos 100 mil pontos.

E aí, vai começar a comprar bitcoin hoje ou vai deixar para depois?

Que tal começar a fazer trades de bitcoin pelo seu celular? Conheça o aplicativo da Foxbit, disponível para Android e iOS.

*Preço de R$38mil na cotação do dia 06/04/2020 às 16h53.

The post Bitcoin acumula alta de 31% e supera crise de 2020 appeared first on Foxbit .